POR

Site UIA2020RIO Entrevista: Roberto Simon

Trazer as Américas do Sul, Central e Caribe e suas diferentes realidades para o centro das discussões. Esse deve ser um dos pontos principais do Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020RIO. Quem afirma é o arquiteto e urbanista Roberto Simon, vice-presidente da União Internacional dos Arquitetos (UIA) para as Américas. Carioca que escolheu o Sul para morar e exercer sua atividade profissional, Simon sempre participou ativamente das associações de classe: presidiu o Departamento de Santa Catarina do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), esteve entre os primeiros conselheiros federais do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/BR), participou por diversas vezes do Conselho da UIA. Agora, vê o maior evento da categoria aportar em sua cidade natal pela primeira vez. Um desafio e tanto. Conversamos com Simon sobre a preparação do UIA2020Rio.

- Faltam exatamente dois anos para a realização do UIA2020. Qual a melhor forma de aproveitar esses últimos dois anos de preparação para o Congresso?
O tempo, mais e mais, parece voar em velocidade diferente do século passado. Então, independentemente de demandar muito trabalho da equipe designada e engajada na montagem desse imenso trabalho, certamente ensejará eventos intermediários que ajudem em sua construção e a manutenção da discussão viva até sua chegada em 2020.

- O Congresso da UIA está voltando para as Américas depois de 27 anos e para a América Latina depois de 42 anos. Qual a importância para a região de sediar novamente um Congresso Mundial?
A América do Sul, Central e Caribe têm estado fora do epicentro das discussões de grande alcance por longos anos, discussões reservadas normalmente aos grandes fóruns (Congressos). Esses realizados com predominância na Ásia, Europa e mesmo América do Norte acabam voltados para realidades completamente diferentes. Mesmo dentro de nosso continente é importante que haja um balanceamento nas zonas de interesse específicas. É importante destacar que essas regiões encontram-se muito prontas enquanto que na nossa ainda há muito por fazer.

- Caso a UNESCO chancele, o UIA2020 será o primeiro Congresso Mundial de Arquitetos realizado numa Capital Mundial da Arquitetura. De que forma a cidade pode se beneficiar de mais esse título mundial?
Certamente a chancela da UNESCO à cidade e ao congresso, respectivamente, elevam a cidade a outra dimensão e por maior tempo. É certo de que conexões importantes deverão ocorrer a partir dessa decisão, cito como exemplo o link que deverá ocorrer entre o Fórum Mundial Social, COP, Fórum Mundial Econômico, Docomomo, Habitat... Ou seja, diferentes áreas estarão conectadas à arquitetura, ao urbanismo e à sociedade.

Realização

Promoção

Parceiros Institucionais

Apoio Institucional

Parceiro em Artigos & Projetos

Agência de Viagens

Expo

Produção

Secretaria Executiva